Saber como incluir, para bem atender

Publicada em Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2024.

"Essa conversa que tivemos foi muito produtiva, pois trouxemos a informação do que é o Transtorno do Espectro do Autismo, de como funciona o cérebro dessas pessoas que possuem um Transtorno do Neurodesenvolvimento, para que assim, a prática pedagógica possa ser ajustada de acordo com a necessidade de cada um".

Hoje, 20 de fevereiro aconteceu uma palestra no Auditório da SMEC de Alto Alegre com o tema: "Autismo: Conhecer para Incluir".
Vanessa Heloísa Camilotti Psicopedagoga/coordenadora CRR19 do TEAcolhe, Luciane M.P. Koch Psicóloga e também a Maria Gabriela Macalós estagiária CIEE de psicologia, que faz o grupo de mães do TEAcolhe e Auriculoterapia, estiveram falando para os professores da rede municipal de ensino, para a equipe da Secretaria da Educação, Saúde e Assistência Social sobre os marcos de desenvolvimento da criança, bem como também entender um pouco mais sobre o autismo, que é uma crescente hoje nas famílias, escolas e sociedade. E foi uma tarde de muito aprendizado para os presentes.

Claudete Morgan, Secretaria de Educação, Cultura e Desporto destaca que desenvolver os profissionais que trabalham diretamente ou indiretamente com as crianças é de grande importância, pois havendo conhecimento se consegue evoluir no aprendizado e trabalho com os pequenos. "E nessa tarde o conhecimento ele se detém com bases no desenvolvimento da crianças em suas determinadas fazes, incluído então informações pertinentes quanto ao autismo que cresce anualmente os casos e o conhecimento para com o mesmo se torna necessário para a realização de um bom trabalho nas escolas", evidencia.

Segundo Vanessa essa troca de conhecimento é de extrema valia, pois auxilia os profissionais que atuam diretamente com as crianças, a observarem com mais atenção e conhecimento sobre o desenvolvimento de cada faixa etária, respeitando os limites esperados durante os marcos de desenvolvimento. Ao perceberem atrasos, poderão modificar sua prática, e também alertar as famílias. "Essa conversa que tivemos foi muito produtiva, pois trouxemos a informação do que é o Transtorno do Espectro do Autismo, de como funciona o cérebro dessas pessoas que possuem um Transtorno do Neurodesenvolvimento, para que assim, a prática pedagógica possa ser ajustada de acordo com a necessidade de cada um, além de mostrar que elas necessitam de ainda mais amor e paciência para se desenvolverem.", explica.

Luciane ressalta a necessidade de pais e professores perceber a criança, escutar, ter uma conexão com ela de forma saudável para assim poder contribuir com sua educação e evolução mental e emocional.

Vanessa destaca que o TEAcolhe tem como objetivo capacitar, orientar e acolher, as famílias, profissionais da educação, da área da saúde, assistência social e quem tiver interesse no assunto do Transtorno do Espectro do Autismo. "Quem desejar obter informações pode procurar a nossa equipe que atende de segunda à sexta – feira das 8:00 as 11:30 e das 13:30 as 17:00 no município de Espumoso, junto a Secretaria de Saúde Municipal, ou se preferir no município de Alto Alegre o ponto focal (pessoa de referência do programa) é a Thiele Soares de Brito na Secretaria de Saúde", evidencia.

Em Espumoso no CRR19 a equipe é formada por: Vanessa Heloísa Camilotti Psicopedagoga/coordenadora CRR19; Luciane M.P. Koch Psicóloga; Maria Gabriela Macalós estagiária CIEE de psicologia; Lana Masieiro – Fonoaudióloga; Natalie R. Machado – Neuropediatra; Catiucia Sperling – Fisioterapeuta; Betânia da Silva – Secretária.

« Voltar